Saudades de um tempo que eu não vivenciei

25 de julho de 2010


Saudades de um tempo que eu não vivenciei

É estranho esse sentimento de saudosismo. É como se a falta que você sente agora de algo que passou, fosse apenas um remorso, por não ter exaurido as boas experiências enquanto o momento acontecia.

Mas, é mais incomoda a saudade de algo que você não viveu, tocando especificamente no assunto musical. Eu começo a analisar minhas preferências, meus vícios, e me perco em épocas taum distantes que me questiono se gosto disso, justamente, porquê não vivi... Porquê só aproveitei a parte conveniente/pós morten dos movimentos.

O infame grunge, o finado rock progressivo. Quando veremos denovo uma banda ousar compor uma musica de treze minutos, com seis, de puro instrumental. Mas, na rebeldia da época, será que isso era realmente tão positivamente chocante?

E o Gênesis? Que viajou tão fundo, mas, foi reconhecido porquê trocou o vocal pelo baterista que dexou de ser um bom baterista pra ser um vocalista comum e tornar a banda que era boa mais comum ainda...

O Rock progressivo era o fruto de talentos inquestionáveis, viajens e derivações mentais duvidosas provenientes das drogas e ousadia.

Hoje em dia, só permanecem nesse cenário as drogas. Adeus a ousadia. Adeus aos talentos. Tudo converge a um único e irritante estilo aonde aas bandas da atualidade tentam ser melhores que as de ontem. Sendo exatamente iguais.

Chega. Não quero mais citar nomes *Tool... *Gentle Giant...

Meu vício mesmo é o Placebo.
Simples. Sem virtuosismo. Mas, isso é assunto pra outra hora.

Saudade dói porra.

Dúvidas, sem dúvida, são tudo o que eu sei.


http://www.youtube.com/watch?v=lmBFn4t5Bj0





Douglas Leonardo Maia dos Santos (Ogam)
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=17325344375944527990
E-mail: ogam-_-@hotmail.com

8 comentários:

Léo de Cannes disse...

Muito pertinente seu ponto de vista! Realmente condizente com nossa atual realidade. Sem fãs de movimentos, mesmo pq não há mais movimentos.
A juventude de hoje já está perdida e não cria nada. Soldados lutando sem causa. Soldadinhos de chumbo da mídia.Fincados no concreto, sem saber nem querer chegar a nenhum lugar. Se não há pra quem tocar, não surgem músicas novas. Só a música velha que mesmo assim não tem lugar.
E Tool é bom pra caralho!

B. disse...

Sim, sinto também saudade de um tempo que não vivi.
Porém, Pink Floyd sempre segue minha linha de pensamento psicodélica nos meus momentos comigo mesma. Jim Morrison sempre me pede pra ama-lo 2 vezes, e pra apagar o fogo dele.
Kurt? Me liga sempre, quer ficar sempre no Nevermind. Ele me anima.
Page e Plant fazem meu coração bater e minha alma se agitar. Fico louca, em transmito, me deixo elvar pela união de dois grandes mestres.
Angus a mesma coisa, mexe comigo toda.
Eu cansei de sentir falta da outra época, a que eu não vivi. E me transportei pra ela, e quando finalmente fiz isso, todo meu ser sorriu e não mais chorou.
Minha mente não está aqui. Vivo fisicamente em uma sociedade imbecil, ignorante, monótona, falsa. Mas mentalmente não estou aqui, mentalmente eu viajo entre o bom e velho rock n' roll. Mentalmente sou livre, minha alma dança e eu flutuo por acordes sem fim.

Rock in City disse...

Sou suspeito para falar do Floyd haha

Mas, realmente, as vezes é necessário que a gente se transporte para o início dos anos 60, 70, para viver musicalmente e esquecer dessa sociedade "física".

Muito bom teu texto Douglas.
Este é apenas o começo do blog
=)

Marcus V. Carvalheiro

Andressa disse...

Muito bom o texto!
Acho que no fundo todo rockeiro , dependendo de seus estilos musicas como os que curtem punk rock ou grunge , queriam ter vivenciado as suas epócas de ousadia e auge! A nossa geração de juventude está sim muito parada e sendo escravos da midia... Mas sinceramente eu não sei oque fazer , são poucas as pessoas que cultuam o bom gosto a musica nos ultimos tempos . Como dizia Jimi Hendrix"Pra mudar o mundo vc precisa primeiro mudar sua cabeça" , acho que mudar a cabeça da juventude atual seria uma tarefa muito dificil , precisariamos realmente de alguem pra revolucionar o rock.
Continuem assim pessoas ... Um dia chegaremos lá!

By :@_fuckoffanddie

Anônimo disse...

Q trapézio.........

Milinha_NNE disse...

Até que o seu saudosismo é "recente" em relação ao grunge.
Eu gostaria de ter vivido minha juventude nos anos 60/70 e algumas partes dos anos 80.
Mas fui nascer em 1988 e no segundo semestre (oohh azar)

hehehehehehehehee


Mas acho que ao invés de ficarmos a lamentar, temos de tomar uma atitude e lutar pelo bem da música, pelo bem da arte e pelo bem do bom gosto.

Anônimo disse...

B., vc existe?
Cd Vc????
Cara, belíssimo texto!!!

disse...

to aqui depois de anos...pensando em um novo projeto :D
senti falta de escrever e de um lugar só meu =p

Postar um comentário

 
Vírus Rock | by TNB ©2010